A Zulk, parte 7: Fotografo Digital?

A Zulk, parte 7: Fotografo Digital?

A Zulk, parte 7: Fotografo Digital?

6
0

Até os meus 20 e poucos anos eu podia dizer que nunca tinha gostado de fotografia na vida. Eu lembro que minhas irmãs sempre tiveram aquelas máquininhas amadoras de filme que todo mundo já teve, mas eu nunca havia tido interesse por isso. Às vezes, eu até queria tirar umas fotos delas, mas nunca me davam a câmera pois eu tremia demais. Para mim, fotografia era coisa de mulher (nesse tempo eu ainda dividia as coisas: de mulher e de homem, kkkkkk isso é tão antigo).

Apartir dos 13 anos de idade, eu me envolvi com a computação. Aos 15, já dava aula de DOS. E quando apareceu o windows, eu fiquei mais encantado ainda. Mas o negócio começou a ficar bom mesmo foi quando a internete chegou ao Brasil, mais ou menos em 1995 ou 1996. Naquele tempo, era maravilhosa a idéia da internete de poder conhecer pessoas e visitar outros mundos sem sair de casa, mas ainda era minúscula, em relação ao que é hoje, e não tinhamos tanto o que fazer. Então minha rotina era bater papo no mirc ou passear pelo mundo vendo fotos. E foi esse último, o passa-tempo que mais me consumiu, eu passava o dia inteiro procurando fotos de lugares, de carros e de artistas de filmes. Paralelo a isso, surgiam vários editores de imagem, dentre eles o photoshop. Foi quando eu comecei a brincar de editar fotos. Sou usuário do programa desde a versão 2 e essa brincadeira já se extende por mais de 15 anos.

Então, antes de ser fotógrafo ou sequer pensar na idéia, eu já era alucinado por imagens e ficava o dia todo vendo fotos, principalmente de carros. E também já dominava completamente o mundo da edição. Em 1999, comprei um scanner, para poder pegar as fotografias de minhas irmãs e amigas e brincar com elas. Em pouco tempo todos já me conheciam por isso. Quando eu li pela primeira vez que alguém tinha inventado uma câmera que era capaz de revelar a foto na hora, que não usava filme e sim disquetes de compuador, onde a imagem já nascia digital, não precisando do horrível e lento scanner para fazer esse trabalho, eu simplesmente fique maravilhado!!! E rapidamente esse brinquedinho atingiu o topo da minha lista de desejos. Mas, até então, meu objetivo era apenas substituir o scanner e não ser artista.

Pra falar a verdade, eu nunca havia imaginado que pudesse existir tanto material de estudo sobre a fotografia. Para mim, era só apertar o botão de disparo e pronto. Na verdade, o que eu era mesmo, e amava ser, era um manipulador de imagens digitais! Com isso, quero deixar claro que teria sido impossível eu virar fotógrafo antes da ascensão da fotografia digital. O mundo da arte da fotografia analógica nunca tinha me motivado nem um pouquinho mesmo, a ponto de eu nem saber que ele existia.

Concluindo, sou um fotógrafo da era digital, nasci dentro do mundo digital, minha origem acontece no mundo digital, antes mesmo das câmeras digitais existirem. Sou totalmente dependente da última tecnologia da atualidade, gosto de mudanças, de novos paradigmas, de novos conceitos, de reinventar o clássico, eu amo a evolução! E esses, como não poderia deixar de ser, são os pilares do estilo Zulk!

(6)

Deixe um Comentario

Jean Paulo Jean Paulo, um autodidata, um eterno apaixonado por tecnologia, tem na base de sua formação a psicologia de onde misturou com a fotografia, e diversas outros conhecimentos técnicos, como designer, empreendedorismo, administração, arte, teorias da aprendizagem, marketing digital e de tudo isso criou a Zulk. Hoje, alem de tudo, dedica a maior parte de sua vida a estudar filosofia, e a treinar outras pessoas pra atingir o sucesso.